*Feliz 2016! Câmera do Vale - Notícias do RN: Em Itajá, reunião debate o uso da água do canal de perenização do Pataxó

(CâmeraTv) Suas tardes de sábado com muita animação - SÁBADO SHOW

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Em Itajá, reunião debate o uso da água do canal de perenização do Pataxó

Diversos agricultores da região de Itajá estiveram presentes no encontro (Foto: Juliano Lima)

Na tarde de ontem, terça-feira, 27, aconteceu reunião na cidade de Itajá que discutiu sobre o uso da água do canal de perenização do Pataxó, que faz ligação entre os municípios de Itajá e Ipanguaçu.  

Neste encontro esteve presente o secretário de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos, SEMARH, José Mairton França, representantes do IGARNE e IDEMA, os secretários de Agricultura de Ipanguaçu e Itajá, Mario Silvério da Costa e Francisco das Chagas Silva, respectivamente, além da presença do presidente do Sindicato da Indústria de Cerâmica do Rio Grande do Norte, Vargas Soliz e de pequenos agricultores da região beneficiada pelo canal.

De acordo a pequenos agricultores do município de Ipanguaçu, a água que passa pelo canal Pataxó, não esta sendo o suficiente para abastecer aquela região, devido ao uso desajustado por parte de agricultores e ceramistas na região do município de Itajá. Entretanto,  os  pequenos agricultores e ceramistas de Itajá discordam desta acusação, afirmando que o problema está sendo causado pelos inúmeros vazamentos em torno do canal.

O secretário da SEMARH, José Mairton, disse a nossa reportagem que sua gestão irá promover campanha de regularização de uso da água que passa pelo canal de perenização do Pataxó, objetivando solucionar o problema. “Além da desta campanha, será feito um cadastramento das pessoas que deverão utilizar o recurso hídrico deste canal que é tão importante para a sobrevivência destas duas comunidades”, disse José Mairton.

Na reunião, vários agricultores do município de Itajá que vivem no entorno do canal do Pataxó estavam revoltados com a atuação por parte do IGARNE e IDEMA, que sem comunicado algum, retiraram os sifões  que captam a água do canal, onde alguns deles foram danificados pela ação truculenta promovida por alguns civis que foram transportados em um veículo da Polícia Militar até o local, com a orientação de removerem os sifões. Segundo José Mairton, ele não concorda com a forma que a operação foi executada, mas prometeu que irá tomar providências quando ao assunto.


Viatura da PM transportando civis em Itajá (Foto: Cedida)
O presidente da Associação de Ceramistas do Vale do Açu e Apodi, ACEVALE, Eurimar Nóbrega, não concorda com o que foi promovido pelo governo do estado no município de Itajá. “O que aconteceu aqui foi simplesmente uma ação truculenta por parte do governo do estado. Ninguém foi comunicado do que aconteceu aqui, nem o prefeito de Itajá foi comunicado”, enfatizou ele.

Eurimar Nóbrega ainda afirma que o consumo de água pelas indústrias de cerâmica captadas no canal de perenização do Pataxó é um consumo mínimo, aonde não chega a 70 mil litros de água por dia. “Nós temos oito empresas cerâmicas que geram aproximadamente mil empregos diretos na região e cada uma delas não chega a consumir mais de sete mil litros de água por dia do canal do Pataxó, é um consumo relativamente pequeno”, disse ele.

O secretário da SEMARH disse que reconhece que o canal de perenização do Pataxó precisa passar por uma revitalização e que já existe um projeto que irá promover reparos ao longo do canal para evitar vazamentos. “Este projeto foi elaborado na época em que o governador Robinson Faria era secretário da SEMARH e depois o governo da época não licitou. Agora nós iremos atualizar os valores deste projeto que inicialmente estava estimado em aproximadamente R$ 300 mil e na medida do possível iremos colocar este projeto em ação”, finalizou o secretário.